Comentário ao Evangelho do Dia – Segunda-feira da 14ª Semana TC

8 de julho de 2019 08:00 -

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

 

Mt 9,18-26

O evangelho de hoje nos apresenta dois milagres misturados. Para entender bem esses dois milagres é preciso partir da ressurreição da menina do chefe. Chegando na casa do chefe, Jesus viu os tocadores de flauta e as pessoas transtornadas pela morte da menina. Quem não se emociona quando a morte atinge crianças?

 

E, no entanto, Jesus faz uma afirmação que dá a oportunidade de todos manifestarem a própria incredulidade e falta de fé. Ao dizer que a menina não morreu, mas que está dormindo, Jesus se manifesta como o portador da vida. Ele, de fato, é a vida e a ressurreição. A menina só está esperando alguém que a desperte e a levante. É o que faz Jesus com naturalidade: toma a menina pela mão, e ela se levanta. Jesus não precisa orar, não invoca o Pai, não faz exorcismo algum. Com simplicidade toma a menina pela mão. Só isso basta para trazer a menina de volta para a vida.

 

Jesus é a ressurreição e a vida. Assim ele age na ressurreição da menina: basta que Ele esteja presente para a menina se levantar.

 

A partir disso, podemos entender também o milagre da mulher que sofria de hemorragia há 12 anos. Ao tocar a barra do manto, ela é curada de seu mal. Se Jesus pode trazer a menina de volta para a vida, pode também curar a mulher da doença. Quem pode fazer o maior pode também realizar o menor. A cura da mulher revela que Jesus se interessa não somente pela vida eterna e pela ressurreição, mas também pelo bem-estar físico das pessoas. É um erro separar saúde física e espiritual, vida física e vida eterna. Evidente há uma importância maior da vida eterna sobre esta vida terrena, mas isso não significa descuido ou desprezo pela vida atual.

 

Veja mais em: Biografia / Agenda do Arcebispo / Artigos / Youtube / Redes Sociais

 

Deixe um comentário

Event Information

8 de julho de 2019 08:00 -

Organizer

Location