Comentário ao Evangelho do Dia – Sábado – São Lourenço Diácono Mártir

10 de agosto de 2019 08:00 -

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

 

Jo 12,24-26

 

 

 

Lourenço, insigne diácono da diocese de Roma, selou com o martírio o seu generoso testemunho de caridade no exercício do seu ministério diaconal. Ele foi martirizado somente quatro dias depois do martírio do Papa Sisto II de quem era fiel colaborador. Perguntado pela autoridade romana onde estava escondido o tesouro da Igreja, mostrou em resposta os pobres que ele cuidava. Essa resposta não era uma escapatória nem era uma manipulação dos pobres. A sua resposta era sincera: tinha os pobres como a riqueza da Igreja! É uma atitude muito importante para os dias de hoje, quando a cultura da indiferença e a idolatria do dinheiro levam muitos a sentir os pobres como ameaça e incômodo. Lourenço continua dando um testemunho importante para nós que, muitas vezes, vemos os pobres como descartáveis e indesejados.

 

Lourenço foi martirizado na grelha que suportou valorosamente.

 

Quem quiser me servir, siga-me”. A vocação de todo batizado é como a de S. Lourenço: seguir Jesus. Entregando-se com alegria aos pobres, Lourenço seguia Jesus. Lourenço dava com alegria aos pobres os seus bens: a bênção da Igreja (Lourenço era diácono), o seu tempo, o seu trabalho, toda a sua vida até o fim. E por quê? Porque ele sabia que a única vocação que existe na Igreja é a imitação de Cristo.

 

O Pai deu generosa e totalmente o Filho ao mundo. O Filho se deu totalmente na cruz ao Pai e aos homens. O Pai e o Filho entregam o Espírito Santo aos discípulos. Não há outra vocação para o cristão a não ser fazer o mesmo: doar-se totalmente. Quem sempre se doa no amor já está vivendo e morrendo com Cristo. Quem vive assim já tem vida em plenitude.

 

Veja mais em: Biografia / Agenda do Arcebispo / Artigos / Youtube / Redes Sociais

Deixe um comentário

Event Information

10 de agosto de 2019 08:00 -

Organizer

Location