Comentário ao Evangelho do Dia – 18 de dezembro

18 de dezembro de 2018 14:05 -

18 de dezembro

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

No evangelho de Mateus vemos o cumprimento da profecia de Jeremias “farei nascer um descendente de Davi; reinará como rei e será sábio, fará valer a justiça e a retidão na terra”.

José, descendente de Davi, recebeu o anúncio desse nascimento prometido, que já tinha sido também profetizado por Isaías: “eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho”.

Ao mesmo tempo, vemos que esse nascimento tão aguardado e esperado não se realizou sem um drama pessoal muito doloroso para José e Maria. José chegou à convicção de que deveria renunciar a Maria, que precisava renunciar ao casamento com ela que era o tesouro de sua vida. Podemos imaginar o sacrifício que seria para José ter que renunciar a Maria. Mas ele estava disposto a tal renúncia. De fato, os grandes dons de Deus são, muitas vezes precedidos de grandes tribulações e provas: Deus alarga assim o nosso coração para poder preenche-lo ainda mais do seu dom. O dom de Deus é sempre muito grande, e nós precisamos dessa preparação, muitas vezes dolorosa, de nosso coração.

O mesmo aconteceu com José. Ele foi preparado para receber a graça de Jesus. O dom de Jesus foi dado não somente a José, mas ao mundo todo. Assim o drama pessoal de José o levou a viver uma alegria profunda na castidade perfeita de uma união espiritual profunda com Maria. Sempre pensamos que a castidade de José o distanciou de Maria e de Jesus. Essa compreensão, porém, é preconceituosa e errada. Foi a castidade que permitiu a José viver em uma comunhão de intimidade e de unidade com Maria muito profunda.

Podemos também admirar a força de alma e a obediência de São José. Ele, sendo um homem justo, decidiu renunciar a Maria, mas sem fazer escândalo. Aceitou o sacrifício no silêncio. Isso é sinal de grandeza e força de alma. Mas o mais admirável é a sua obediência a vontade de Deus.

Quando fazemos grandes sacrifícios, normalmente nós nos endurecemos e o nosso coração se fecha. Não queremos mais ouvir mais nada porque queremos nos manter no sacrifício assumido. Mas S. José, mesmo pronto ao sacrifício, se mantem aberto à Palavra de Deus. O anjo, ao vir ao encontro de José, o encontra o seu coração aberto para as grandes promessas de Deus.

Peçamos ao Senhor, a força de alma para fazer sacrifícios por amor. Peçamos também que, mesmo dispostos a grandes sacrifícios, nos mantenhamos abertos a vontade de Deus, sem nos enrijecer em nossas decisões. Que estejamos sempre abertos às promessas divinas.

Veja mais em: Biografia / Agenda do Arcebispo / Artigos / Youtube / Redes Sociais

Deixe um comentário

Event Information

18 de dezembro de 2018 14:05 -

Organizer

Location