Comentário ao Evangelho do Dia – 16 de dezembro

16 de dezembro de 2018 14:10 -

16/12 – Terceiro Domingo do Advento C

Por Dom Julio Endi Akamine SAC

A proximidade de Deus torna o cristão pre-ocupado com a ação. Que devemos fazer?

João impõe a três categorias de pessoas (multidão, publicanos e soldados) um comportamento preciso em sinal de conversão.

“Quem tiver duas túnicas, reparta-as com aquele que não tem, e quem tiver o que comer, faça o mesmo”. A túnica, em contraposição do manto, era a peça de baixo do vestuário e por isso menos necessária. Assim, sendo, devemos nos preocupar até com as necessidades menos urgentes das pessoas, tanto como com as necessidades maiores.

Aos publicanos: “Não deveis exigir nada além do que vos foi prescrito”. Aos soldados: “A ninguém molesteis com extorsões; não denuncieis falsamente e contentai-vos com o vosso soldo”. Os indivíduos encarregados dos fundos públicos são tentados ao abuso do ofício e à injustiça, aumentando a taxa de seus proventos. Era fato conhecido que os publicanos não só cobravam taxas injustas e excessivamente altas, mas também costumavam apresentar relatórios falsos, furtando o erário público. Os soldados aqui mencionados se utilizavam de ameaças, da própria violência e das punições legais, para extorquir e roubar dinheiro público. Utilizavam também da chantagem, especialmente contra os ricos.

“Não seria ele o Messias?”. João responde a esta expectativa mostrando a sua dupla inferioridade (em relação à pessoa e ao batismo).

“Não sou digno de digno de desatar a correia das sandálias”. Era costume da época que este serviço fosse reservado aos escravos mais ordinários. João diz, portanto, que, em comparação com Jesus, ele não pode ser comparada nem mesmo a um escravo ordinário.

“Eu vos batizo com água, mas vem aquele que vos batizará com o Espírito Santo e com fogo”. Trata-se de fazer a comparação entre os dois batismos e os dois ministérios. O batismo de João era símbolo do arrependimento, e não o próprio arrependimento. Era algo que servia para atrair a atenção do povo, preparando-o e orientando-o para o batismo real, o batismo de Jesus. O batismo com fogo indica o caráter do batismo com o Espírito Santo: sua vinda em Pentecostes, os efeitos de purificação (purgar o bem e destruir o mal).

“A pá está em sua mão; limpará a eira e recolherá o trigo em seu celeiro; a palha, porém, ele a queimará num fogo inextinguível”. A pá de madeira é um instrumento usado para separar o trigo da palha. A eira é um lugar plano e firme para malhar o trigo. Qualquer pessoa, ouvindo isso, poderia sentir a força da ilustração. O fogo já está aceso para queimar a palha; os celeiros já estão preparados para recolher o trigo. A vinda do Cristo já aconteceu. Ele tem a pá em sua mão. A ideia apresenta a urgência da conversão.

Veja mais em: Biografia / Agenda do Arcebispo / Artigos / Youtube / Redes Sociais

Deixe um comentário

Event Information

16 de dezembro de 2018 14:10 -

Organizer

Location