Padre Flávio faz um balanço da gestão da Irmandade da Santa Casa

Nos últimos meses, a Santa Casa de Sorocaba vem sendo administrada pela Irmandade que tem como Moderador o Arcebispo Metropolitano Dom Julio Endi Akamine e como Diretor Presidente o Padre Flávio Miguel Junior, Reitor do Santuário São Judas Tadeu. O ato de devolução foi feito pela Prefeita Jaqueline Coutinho que estava em exercício naquela oportunidade. Padre Flávio acolheu o jornal Terceiro Milênio na Sala da Provedoria para falar da situação do Hospital que não é das melhores. “Infelizmente a situação é lamentável, pois o hospital está sucateado e possui uma dívida de mais de setenta milhões. O prédio está envelhecido e com sérios problemas estruturais, os equipamentos hospitalares estão anacrônicos. É uma situação de muita pobreza, de muita dificuldade e os desafios são muitos. Humanamente a Arquidiocese jamais deveria ter pego um hospital nessas condições, mas o Senhor nos levou a isso e nos deu essa missão”.

Sobre a sua atuação à frente do Hospital, Padre Flávio atribui ao desígnio Divino. “Primeiramente eu vejo que isso foi a vontade de Deus, não veio da minha cabeça, não veio do meu desejo, mas foi um plano de Deus para minha vida, para servir os mais doentes e esquecidos. Não fomos nós que planejamos tudo isso. O que está acontecendo primeiramente é graça e chamado do Senhor. Em segundo lugar é também um belo fruto do “Ano da Misericórdia”,  onde o Papa Francisco pediu para a Igreja se voltar com especial atenção aos doentes e aos mais pobres,  aqueles que não têm voz e vez. Sim, a Igreja tem que ser a voz dos que não tem voz”. Apesar da situação caótica, Padre Flávio afirma que não tem faltado ajuda e os recursos estão chegando. “Esses recursos têm vindo da bondade das pessoas que de todo coração partilham o que tem com os mais pobres. Também os empresários, vereadores da cidade de Sorocaba, bem como nossos deputados estaduais e federais, e a própria Prefeitura Municipal nos tem dado todo apoio, nesta árdua tarefa de reconstrução.

Novas parcerias e alguns avanços

No dia 18 de outubro, a mídia local destacava em seu noticiário algo inusitado: a visita do Padre Flávio ao Planalto em Brasília, onde esteve com o Presidente em exercício Michel Temer, sendo este, o fato mais notório da nova gestão. “O nosso objetivo foi conseguir fundos e um contato com o Ministério da Saúde, onde por sinal conseguimos uma verba de dois milhões de reais para aquisição de equipamentos hospitalares. Também tivemos uma audiência com o Presidente da República e com isso pudemos trazer muitos benefícios da Saúde para Sorocaba. Aqui não se trata de apoiar ou não o governo atual, mas sim de trazer para a cidade as verbas federais que nos pertencem, já que pagamos impostos, nada mais justo para o povo sorocabano”, comenta o padre.

Apoio irrestrito à Administração, doações generosas e ajudas importantes não são apenas obras do acaso, mas também do carisma do Padre Flávio em fazer parcerias. “Estamos buscando parcerias com todos os empresários e com pessoas que queiram nos ajudar. Não podemos nos esquecer que Jesus nos fala nos Evangelho do poder do óbulo da viúva”.

No mês de novembro os gestores tiveram mais uma alegria, quando, graças a ação de um doador anônimo, os exames de mamografia voltaram a ser realizados, suscitando novas esperanças nas mais de 7 mil pacientes que estão na fila de espera. Naquela oportunidade o Padre Flávio manifestou a sua alegria. “Não é coincidência, tudo é providência de Deus”, disse, referindo-se a doação do Mamógrafo que custa aproximadamente R$100 mil. Mas não foi só a doação do mamógrafo, houve ajuda de pessoas generosas possibilitando outras pequenas melhorias. “Já conseguimos fazer uma readequação da cozinha, ganhamos novas panelas, utensílios domésticos e também alimentos e cobertores, além do mamógrafo, o que nos permite dizer que estamos em um processo de reerguimento da Santa Casa”, afirmou Padre Flávio.

Perguntado também, se as ajudas e doações podem ser atribuídas à credibilidade da Igreja Católica, diante da descrença presente na população, nas instituições civis, Padre Flávio concordou. “Sem dúvida alguma, a credibilidade da Igreja Católica faz com que muitas pessoas façam a sua doação e a sua oferta de amor para o nosso hospital. Por tudo Deo gratias!”, disse Padre Flávio, que também argumentou, “mas ainda tem muita gente cética dizendo que é uma loucura a Igreja ter assumido a Santa Casa e de fato, os desafios são muitos. O que as pessoas não entendem é que estarmos na Santa Casa é vontade de Deus, foi o Senhor que nos quis ali para ser a voz dos pobres. Somente com a graça de Deus vamos poder fazer uma boa gestão hospitalar. Eu não fui formado para isso, mas tenho um Mestre Divino que me inspira e conduz – é o Espírito Santo”.

Outro serviço que foi reorganizado e voltou com força é o atendimento religioso. Diariamente às 16h são celebradas missas na Capela do Hospital, que tem como Capelão Padre Márcio Ferreira. Os sacerdotes também fazem visitas periódicas aos internados ministrando a Unção dos Enfermos e os Diáconos Permanentes, com a orientação do Capelão, e todo apoio da Senhora Bene – Secretaria da Capelania, fazem pela manhã visitas aos enfermos levando-lhes o consolo da Palavra e a Força da Oração.

A Diretoria da Santa Casa, além do Mediador Dom Julio Endi Akamine e Padre Flávio, Diretor Presidente, conta com um Diretor de Pastoral Padre Arari dos Santos Amorim (Pe. Kojak) e um Diretor Administrativo, Padre William de Almeida.

Não existem comentários.

Deixe seu comentário