pag 3_Foto Oficial Dom Julio Endi Akamine

Dom Julio Endi Akamine (foto não oficial).

Arcebispo Metropolitano

Dom Julio Endi Akamine, SAC

Dom Julio Endi Akamine, SAC, filho do casal Guengio Akamine (falecido) e Teruco Oshiro Akamine, nasceu em 30 de novembro de 1962 em Garça (SP).

Em 1975 entrou no Seminário da Sociedade do Apostolado Católico (SAC), os Palotinos, em Londrina (PR), onde completou os estudos no Seminário Menor São Vicente Pallotti. Fez o noviciado em 1979 no Seminário Rainha da Paz, em Cornélio Procópio (PR). Sua primeira consagração foi a 8 de dezembro de 1980, na mesma cidade.

Cursou Licenciatura em Filosofia na Pontifícia Universidade Católica (PUC), de 1981 a 1983, e Teologia no “Studium Teologicum Claretianum”, de 1984 a 1987, na arquidiocese de Curitiba (PR). Foi ordenado sacerdote em 24 de janeiro de 1988, na cidade de Cambé (PR). Obteve o Mestrado em Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma (1993 a 1995) e Doutorado na mesma Universidade (2001 a 2005).

Como sacerdote palotino desempenhou a função de vigário paroquial, pároco e reitor do Seminário Mario Palotino, em Curitiba. Também foi assessor da Organização dos Seminários e Institutos Filosófico-Teológicos do Brasil (Osib) no regional Sul 2 da CNBB. Entre outras funções, atuou como diretor do período introdutório da Província Regina Apostolorum, na Itália (2003-2004).

Como sacerdote palotino desempenhou a função de Vigário paroquial: Paróquia Santo Antônio, Cambé (PR) (1988-1990);
Pároco: Paróquia Santo Antônio, Cambé (PR) (1990-1993), na Arquidiocese de Londrina;
Reitor do Seminário Maior Palotino, Curitiba (PR) (1996-2001);
Assessor da OSIB Regional Sul 2 (1996-1998);
Secretariado Geral da SAC para a Formação (1999-2005);
Consultor local da Comunidade da Casa Geral, Roma (2001-2003);
Diretor do Período Introdutório da Província Regina Apostolorum, Itália (2003-2004);
Secretário provincial para a formação (2005-2007);
Diretor espiritual do Seminário Maior Palotino, Curitiba (2006-2007).

No período de 1996 a 2001 e de 2005 a 2011, foi professor de teologia no Studium Theologicum, em Curitiba, onde lecionou as matérias de Teologia Sacramentária Geral, Sacramentos da Iniciação Cristã, Eclesiologia, Trindade, Introdução à Teologia e Teologia Fundamental.

Foi reitor Provincial da Província Palotina São Paulo Apóstolo, com sede na capital paulista, de 2008 a 2011, quando foi nomeado bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, em 4 de maio daquele ano. Sua ordenação episcopal foi em 9 de julho de 2011 e seu lema é “Bonum Facientes Infatigabiles” – “Não vos canseis de fazer o Bem”.

Dom Julio atualmente é referencial da Pastoral da Educação.

Em 28 de dezembro de 2016, foi nomeado arcebispo metropolitano de Sorocaba, sendo o quinto bispo e o terceiro arcebispo, pelo Papa Francisco. De acordo com comunicado da Nunciatura Apostólica no Brasil, o pontífice acolheu o pedido de renúncia apresentado por dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, por motivo de idade, e nomeou arcebispo de Sorocaba (SP), dom Julio Endi Akamine, SAC, até então bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo (SP) e secretário-geral do Regional Sul 1. Em São Paulo, Dom Julio foi Bispo Auxiliar de São Paulo, Titular de Tagamuta e Vigário Episcopal da Região Lapa.

 

 

Foto Oficial de Dom Eduardo_baixa
Arcebispo Emérito

Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues

 

Eduardo Benes de Sales Rodrigues nasceu no dia 25 de junho de 1941, em Bias Fortes, MG. É filho de José Justino Rodrigues e Aurora Sales Rodrigues. Iniciou seus primeiros estudos no grupo escolar Cardeal Mota, entre os anos de 1947 a 1951.

Aos 10 anos entrou para o Seminário Diocesano Santo Antônio, em Juiz de Fora – MG. Depois de concluir o Seminário Menor foi promovido para o Seminário Maior São José, na cidade mineira de Mariana.

Foi ordenado padre no dia 13 de dezembro de 1964 na Catedral de Juiz de Fora, por Dom Geraldo Maria de Moraes Penido.

No dia 4 de julho de 1993 foi nomeado Vigário Geral da Arquidiocese de Juiz de Fora. Alguns anos depois, em 1998, o Papa João Paulo II nomeou padre Eduardo para ser Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Porto Alegre – RS, onde permaneceu até o ano 2000.

Em 10 de janeiro de 2001 foi nomeado também por João Paulo II, Bispo Diocesano de Lorena – SP, sucedendo Dom João Hipólito de Morais.

No dia 4 de maio de 2005, o Papa Bento XVI o nomeou Arcebispo Metropolitano de Sorocaba para suceder a Dom José Lambert, que esteve à frente da Arquidiocese durante 25 anos. No dia 25 de junho de 2005, Festa de São Paulo e São Pedro, Dom Eduardo recebeu das mãos de sua Santidade, o Papa Bento XVI, no Vaticano, o Pálio – insígnia litúrgica de honra e jurisdição abençoada pelo Papa. Os Pálios, compostos por uma faixa de lã branca com seis cruzes pretas, são usados pelos arcebispos metropolitanos em suas Igrejas Particulares e Províncias Eclesiásticas.

Tem como lema episcopal “Mitis et Humilis Corde” – “Manso e Humilde de coração”.

            A posse em Sorocaba

O segundo Arcebispo Metropolitano de Sorocaba, tomou posse no dia 3 de julho de 2005, véspera do aniversário de criação canônica da Diocese, na Catedral Metropolitana “Nossa Senhora da Ponte”. Estiveram presentes vinte (arce) bispos, entre eles o Cardeal Dom Frei Cláudio Hummes, OFM, atual Arcebispo emérito da Arquidiocese de São Paulo, e Dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo de Belo Horizonte.

Dom Eduardo chegou à Praça Coronel Fernando Prestes em carro aberto, escoltado pelos batedores da Polícia Militar e da Guarda Municipal, ao lado de Dom José Lambert. Antes de entrar na Catedral, foi saudado pelo povo presente, pelo então prefeito Vitor Lippi e a primeira-dama Denise Lippi, demais autoridades, padres, diáconos, seminaristas e religiosas. Recebeu das mãos do pároco da Catedral, padre Tadeu Rocha Moraes, um crucifixo.

Desde que foi criada em 4 de julho de 1924, a então Diocese de Sorocaba, hoje Arquidiocese teve à frente dos trabalhos pastorais os Bispos: Dom José Carlos de Aguirre (1º Bispo Diocesano – 1924 a 1973), Dom José Melhado Campos (2º Bispo Diocesano – 1973 a 1981), Dom José Lambert (3º Bispo Diocesano e Primeiro Arcebispo Metropolitano – 1980 a 2005).

A elevação de Diocese de Sorocaba para Arquidiocese aconteceu em 29 de abril de 1992, tendo como Dioceses sufragâneas: Jundiaí, Itapeva, Itapetininga e Registro.

Integram a Arquidiocese de Sorocaba os seguintes municípios: Araçoiaba da Serra, Boituva, Cerquilho, Iperó, Piedade, Porto Feliz, Salto de Pirapora, Sorocaba, Tapiraí, Tietê, Jumirim e Votorantim.

Nossa Senhora da Ponte é a padroeira da cidade e da Arquidiocese desde a fundação. Devoção portuguesa trazida por Baltazar Fernandes, fundador da cidade.

Formação

1º Grau: Seminário Menor Santo Antônio, Juiz de Fora, MG (1952-1955).

2º Grau: Seminário Menor Santo Antônio, Juiz de Fora, MG (1956-1957).

Filosofia: Seminário Maior São José, Mariana-MG (1958-1960).

Teologia: Seminário Maior São José, Mariana-MG (1961) e Faculdade N. S. Assunção, Ipiranga-SP (1962-1964).

Licenciatura em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia de São João Del Rei-MG.

Mestrado em Teologia Dogmática na Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma.

 

Atividades como bispo:

Bispo Auxiliar de Porto Alegre – RS (1998-2001);

Bispo de Lorena – SP (2001-2005);

Secretário do Regional Sul 3;

Bispo Referencial de Juventude e da CNP no Sul 3;

Bispo Referencial da Catequese e da Pastoral Familiar da Arquidiocese de Porto Alegre – RS.

 

Demais atividades:

Vigário paroquial da catedral de Juiz de Fora – MG (1965-1971);

Coordenador Diocesano da Catequese (1967-1972);

Coordenador de comunidade e de estudos da filosofia e teologia do Seminário Santo Antônio (1971-1979);

Formador no Seminário (1971-1995);

Reitor do Seminário (1992-1995);

Pároco da Paróquia de Benfica (1992-1995);

Vigário Paroquial da Paróquia N.S. Auxiliadora (1995-1997);

Professor de Teologia Dogmática (1971-1997);

Vigário Geral em Juiz de Fora – MG (1994-1998).